sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Amores dose única



Abro os olhos e você está dormindo, um sorriso  lindo, a típica respiração angelical de quem dorme, deslizo os dedos por teus cabelos acariciando-os carinhosamente. 
Sua pele é quente, enlaço nossos pés, beijo sua bochecha um pouco tímida, minhas demonstrações de carinho são sempre mais singelas que o sexo. Olho o relógio e são quase dez horas, levanto cuidadosamente para não lhe acordar, dirijo-me a cozinha e preparo um delicioso café, forte e quase sem açúcar, puríssimo!
Nos amores dose única todo café é o ultimo, uma ternura se derrama sobre a bebida, é o meu presente de despedida, não que precise de uma, sou quase uma especialista em ''ois'' e ''tchaus'', e eu faço questão de continuar com isso, gosto do cheiro que deixam em mim, há quem diga que isso é medo, mas nada como gravar um belo beijo, um belo sorriso, e horas de conversa na memória, já tenho dor o suficiente em mim, por que deixaria alguém entrar?
Por natureza este corpo é carente, sob a indelicada estrutura óssea mora uma pessoa dócil, tão frágil quanto seus joelhos, tempestades são comuns em sua alma, um coração em constante erupção, extremamente simpática e empática, perfeita para se amar por um único dia.
Eu farei exatamente como você gosta, poderemos cantar juntos, fumar um baseado, beber cerveja ou vinho, fazer sexo, falar sobre direito, esporte, mulheres, magia, música, depende do seu nome, do seu gosto, quase uma camaleão do amor.
             
         Como é seu nome? Eu certamente jamais esquecerei, mas é seu dever esquecer o meu. 

2 comentários: