segunda-feira, 21 de julho de 2014

Paraísos Artificiais

                 

Paraísos artificiais, infernais, carnais; as válvulas de escape que você usa para fugir da realidade. Cada um de nós sabe quando parar, só não queremos. A magia existe, basta deseja-la, e ela é tão negra quanto imaginam.
Não importa qual seja o paraíso que tenha escolhido, ele é a passagem de ida para um lugar do qual você não vai querer retornar. O ser humano tem a obscura capacidade de conseguir transformar qualquer coisa em vício, você vende a alma só para não ter que ver além das cortinas da sua janela, sabe que o amanhã vai chegar, incrédulo e real, mas se por hoje pode fugir dele, você o fará, jogará luzes de neon em seu coração cansado.
E uma vez que se entregue por completo, que sinta a realidade escorrer, o corpo anestesiar, a mente mergulhar em sensações indescritíveis vai viciar e querer de novo... Talvez imagine cocaína, maconha, lsd, ecstasy, metanfetamina, álcool, cigarro, porém, não se resume a isso.
O sexo, o esporte, a paixão, a comida, o dinheiro e a tecnologia são grandes paraísos artificiais, que  podem se tornar uma perigosa obsessão.

Eu  não sei onde começa ou termina cada parte de mim, todo o meu ser é vício, por toda a vida  tenho escapado por todos os meios possíveis, vivendo em ilhas paradisíacas, sendo queimada com infernais raios solares, me afogando em águas cristalinas, cortando os pés nas pedras.
                                         O prazer se mescla a dor...
                                                  E ambos se tornam insaciáveis.




                                       
                                 


segunda-feira, 7 de julho de 2014

Sobre Hoje



Acordei com vontade de escrever algo rápido,veloz como minhas paixões, que começam e acabam da noite pro dia, perco-me com frequência, mergulho em tudo e todos, estando pesada como âncora ou leve como pena continuo a mesma.  A mesma garota beijada pelo fogo da vida, marcada a ferro, afogada em excessos.                                          

Os meus joelhos não respondem mais, inevitavelmente completei dezoito, meu pai continua intacto, o universo é o mesmo, as estrelas são ofuscadas com iluminação humana, as cidades nunca dormem, os mortos são esquecidos e os bares estão lotados... De corações partidos.   

A presença da dor é excruciante, no entanto, sou tua cria, tua filha, teu amor mais presente. Cuida de mim, e te acalento nos braços. Já foi loucura, agora é natural, um carma pode ser uma benção? Apesar dos pesares tem valido a pena, muito conturbadamente sinto-me abençoada por estar aqui.                               
Frágil como um cristal, provavelmente eu vá te machucar quando me deixar cair, porque assim como a dor sou inevitável, e antes que se dê conta vou encher teu peito de emoção, vou te fazer feliz, e vou partir... A dor não dura para sempre, por que eu duraria? As pessoas são em minha vida como uma febre.

Estou vivendo um dia de cada vez, tentando não perder o controle, tentando não tragar as pessoas como um cigarro, procurando não consumi-las em poucos minutos ou joga-las ao vento.
No entanto, quem pode conter o fogo do meu coração? Da minha alma? Do meu corpo? Quem brinca com fogo acaba queimado, e ele está está dentro mim...