terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Inesperado Amor

Uma garota solitária,de coração desgraçado,andando sem qualquer rumo ou esperança,perdida no álcool,e nas noites cruéis,horas de sexo frio,sem um ofegar verdadeiro,destruída,angustiada,sem vontade de viver,se mantando em pequenas doses diárias.


                                 Um evento inesperado...
Aqueles olhos negros invadem sua vida,dissolvendo suas dores com um sorriso tímido,palavras vagas e beijos profundos.Pulsando o sangue em suas veias,protegendo-a de suas travessuras suicidas,abraços carinhosos,os dedos amáveis daquele homem percorrem suas cicatrizes,entanto ele sorri e elogia sua beleza,uma beleza desgastada,mas ele diz com tanto vigor,que a menina quase consegue acreditar depois de anos que  é realmente bela,e não um monstro em frente ao espelho.
Os dias passam,ela sente pontadas todas as noites antes de dormir,enjoos,suores,nuances,ela sente-se tão feliz,mas seu corpo doentio receia em aceitar o amor, afinal o que é o amor?O que era tudo aquilo?Tão diferente de seus sentimentos desgraçados.Avassalador sim!Mas indescritível!
Os olhos puxados reparam seus movimentos mais vivos do que nunca,ele a ouve com tanta paciência,com tanto sabor,sem ensaios,sem julgamentos,sem atrevimentos,as  frases desesperadas e pessimistas ficam cada vez mais calmas e ternas ao lado dele.
Ela nasceu para odiar o amor,ela foi ensinada pela vida que deveria ser assim,mas os rabiscos ultrapassaram as margens da sua capacidade lógica,tornou-se uma menininha apaixonada,como qualquer outra,ou melhor diferente de qualquer outra?
Ela o ama verdadeiramente,sonha com ele,suas considerações suicidas e solitárias caíram por terra,agora em seus pensamentos moras  com seu amado no futuro.Ela descobriu um novo sentimento,uma pontadinha dessa coisa que as pessoas chamam de ciúmes.Reconhece seu cheiro natural,sente saudade,e repete no dedo os seus momentos.
Os dois se amaram,ela experimentou o gosto doce da vida,nada de repulsa,apenas prazer,lírico prazer,seus corpos fundiram de uma maneira tão humana,tão simples, e tão mágica,todos seus movimentos eram tão profundos e suas respirações ofegavam juntas,e no final eles ficaram horas se olhando.