quarta-feira, 20 de junho de 2012

Indescritível



Um rosto tão lindo, mas uma alma tão suja.
Uma definição belíssima, poética, mas seria vaga demais. Estou falando de uma jovem de coração selvagem, nascida nos braços da dor, almejada pelas desgraças da vida. Cresceu isolada em suas próprias mentiras, fantasias criadas para suportar uma existência devastadora. Nascida para o sofrimento, princesa das trevas, humana de olhos pequenos, lábios agridoces, pele aveludada, dona de uma mente brilhante, uma mente genial, uma mente insana. Não sei lhe responder se ela nasceu louca, ou tornou-se louca, só posso dizer que ela tem seus motivos.  Magoada, nasceu magoada com o mundo. Mas escrava do mesmo, seu espirito de submissão é irracional, o mais perigoso nessa mulher, é que ela obedece a todos os seus sentimentos. Todos. Sem uma única exceção. Mata pelo ódio, morre pelo amor, fode pelo prazer, chora pelo remorso, destrói pela vingança, se esconde de vergonha, ri com ironias, e se enche de melancolia. É dócil, o sorriso tímido invade qualquer alma. Facilmente podem surgir lágrimas de sangue, é tão intensa que lágrimas corriqueiras não lhe servem, tem de ver sua pele chorar, as gotas de sangue escrevem tristes palavras, um livro sem páginas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário