quinta-feira, 26 de abril de 2012

Livres


E agora? Não somos mais uma lolita, não somos mais a Carrie White, não somos mais uma borderline, não somos mais uma puta, não somos mais uma aberração, você se sente nua, assim como eu me sinto crua, agora só restou o que realmente somos, e o que somos é a consequência do que construímos. As certezas foram embora, acabaram-se as definições, limitações, e conceitos. Só temos os fatos, cicatrizes pelo corpo, cabelos negros, palavras, fotos, mágoas, lembranças, fomos arrancadas de nosso trono infernal, mergulhadas em dúvidas, anseios e medos, você chora enquanto eu grito, e eu grito enquanto você chora.
Os lacinhos estão na gaveta, as lâminas no estojo, as bebidas na geladeira, os gatos no sofá, e o papel em nossas mãos, passamos os anos aceitando tudo o que as pessoas nos davam, nomes, roupas, qualidades,
defeitos ,e trejeitos. Você não criou máscaras, as pessoas criaram máscaras para você, isso é o pior de tudo, você foi transformada em uma boneca da sociedade, quando torna-se uma bonequinha de carne e osso desse mundo cruel muita dor virá em vão.
Agora que estamos livres dessas armaduras, podemos correr juntas para o infinito, o infinito das incertezas, e construirmos nossas vidas, nossas reais fatalidades, nossos sentimentos.
Venha! Vamos experimentar o gosto amargo da vida real,e o doce também, esquece os conceitos,o laço asfixiante foi cortado, todas as grades do seu coração foram quebradas, as pessoas que lá estavam foram libertadas, assim como as dores,a s flores e os horrores.
Esse agora é o nosso mundo, escreva textos, ouça suas músicas de fossa, leia livros sombrios, assista desenhos infantis, chore quando quiser, transe quando tiver quiser, mas só quando tiver vontade! Diga foda-se para religião, proteja os animais, decifre as estrelas, ame a lua, rasgue suas roupas, passe seu batom vermelho, encha sua parede de frases, molhe o mundo com seu cuspe, estude o que quiser,acorde cedo. Chega daquela  viva teatral!

Um comentário: