domingo, 12 de junho de 2011

Por dentro

Você nem de longe parece a garota que eu conheci, o que fizeram com você?Me diga, suas palavras doces tornaram-se afiadas e sujas, sua expressão delicada ficou embrutecida.Seus livros foram trocados por músicas berrantes, drogas alucinantes.
 A voz tem um tom cruel, os olhos estão agressivos, não lembram em nada a calma e o conforto do olhar e do sorriso que viviam pernoitando meus sonhos.Agora você fede a cigarro, só quer dinheiro e putaria, passa noites bebendo e transando por aí, com homens e mulheres que nem conhece.
Eu tento acreditar que a garota que fazia juras de amor comigo não se tornou uma vadia melancólica.Pois, sim, você exala tristeza, posso ver que seus sonhos foram abandonados, e que só existe um corpo, infelizmente, por dentro, você está morta

Um comentário:

  1. Esse post e o anterior parecem até um diálogo, alguém dialogando com a outra face dela...

    Pesquise sobre os heterônimos de Fernando Pessoa

    ResponderExcluir