segunda-feira, 27 de junho de 2011

Faminta

  Essa sou eu, uma garota faminta por vida, implorando por sentimentos inúteis,beijando bocas imundas para tentar tapar o vazio que existe na minha alma,não me importo em ser seu objeto,só desejo preencher seu tempo, seja com dor, amor, ou ódio, sou uma imitação barata de ser humano, sou a boneca do século XXI.
   Não lembro nomes, nem endereços, sou perfeita para uso descartável, pois sou um presente maldito, daqueles que colocam veneno na sua comida, apedrejam sua cabeça, ou tentam comer seu cerébro.Mas sei que você é leviano,e se não for ainda vai ser,uma hora vai ter de aprender,vou enfiar mentiras na sua garganta,sugar sua hipocrisia e cuspir ela na sua cara.
   Vou abrir seus olhos, pois o conto de fadas que você acredita hoje, amanhã vai desmoronar na sua cabeça,não existem finais felizes,valores,amores, vou te ensinar que somos apenas mercadorias, queremos comer uns aos outros, carnal, mental, sentimental, não passamos de canibais.
    Nós vivemos em função disso, essa sociedade civilizada, e humanizada só existe nos livros, nos sonhos, esse é o mundo real, pare de sonhar acordado, e venha me comer, e me deixe comer você, pois somos todos famintos por vida, mortos, vazios, insaciáveis.

Nenhum comentário:

Postar um comentário