domingo, 12 de junho de 2011

Estou viva

  Eu vim aqui hoje para lhe mostrar que não estou morta.Há muito eu havia perdido a esperança, me escondia em algum canto sangrando, remoendo minhas lembranças, hesitando continuar, tentando poupar-me da dor. Da dor que eu própria causara.Fechei os olhos, tapei os ouvidos, transformando-me em um ser triste e mórbido.
  Só existia uma vasta escuridão, um silêncio gritante, minha pele foi ficando fria,espinhos foram crescendo a minha volta, estava inalcançável, porém continuava sentindo, meu peito se contorcia, eu não deixara de amar, de odiar.Mas fiquei ali por anos,esperando que meus sentimentos se apagassem, criei raízes, envelheci, entanto eu ainda  sentia as lágrimas queimando minha face, incendiando minha alma. 
 Eu tentara morrer, mas continuara viva, o sangue corria dentro da  minhas veias,respirava, o coração pulsava, aquele pequeno músculo  batia com a mesma intensidade.Naquele momento resolvi abrir os olhos, e vi que tudo estava diferente, pois a vida não para, ela continua, percebi o quanto eu fora ingrata comigo mesma.
  Levantei, e caminhei até aqui para dizer que a vida é a única certeza que temos para existir. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário