domingo, 29 de maio de 2011

Ferida.

  Esse punhal está fundo demais para ser arrancado do meu peito, não se preoucupe meu amor, mesmo que agora as lágrimas escorram sem parar, logo elas vão cessar, me escoro na dor para poder caminhar, respiro um veneno chamado esperança, guardei meu sorriso para lhe dar de presente. Mesmo que você não seja meu,o toque de suas mãos foram imortalizados na minha pele, seu cheiro, seu corpo, fundiram-se aos meus sonhos.O caminho que me espera é um tanto doloroso, o amor está dentro de mim, e vai corroer meus orgãos, matar minhas células, manchar minhas lembranças, ainda sim eu fecho os olhos e rezo para essa ferida nunca se curar.

2 comentários: