terça-feira, 31 de maio de 2011

Seu pecado

Nós estamos trancados nessa casa, então venha, deite-se ao meu lado, escute o grito da noite, feche os olhos, esqueça tudo, deixe a paixão engolir você, sinta o horror de perder o controle do próprio corpo em segundos, um tornado de sensações, delírios, permita-me tocar sua pele, beije-me até que nossas respirações se percam, vamos queimar o sentimento que nos atormenta, o amanhã nunca chegará, pelo menos nesses instantes, quero fundir-me aos seus desejos, roubar seus suspiros, aproveite,enquanto isso injete toda sua dor no meu coração,livre-se da culpa, eu sou o seu pecado,enjaulei você, me apaixonei por você, mas estou fora do prazo de validade, esse amor estragado só vai durar até o amanhecer. Ao sair irei mutilar meus sonhos, crucificar minhas memórias, e rezar para que ela te ame mais do que eu.

domingo, 29 de maio de 2011

Ferida.

  Esse punhal está fundo demais para ser arrancado do meu peito, não se preoucupe meu amor, mesmo que agora as lágrimas escorram sem parar, logo elas vão cessar, me escoro na dor para poder caminhar, respiro um veneno chamado esperança, guardei meu sorriso para lhe dar de presente. Mesmo que você não seja meu,o toque de suas mãos foram imortalizados na minha pele, seu cheiro, seu corpo, fundiram-se aos meus sonhos.O caminho que me espera é um tanto doloroso, o amor está dentro de mim, e vai corroer meus orgãos, matar minhas células, manchar minhas lembranças, ainda sim eu fecho os olhos e rezo para essa ferida nunca se curar.

Suicida

  Me apaixonei por essa garota, mas ela é uma suicida, todos os dias ela tenta se destruir, as pessoas dizem que devo esquecê-la.Ela não ama ninguém, e nem a si mesma, sua alma está morta, e eu tenho a missão de ressucitá-la, ela me deu um sentindo para viver, salvar a vida dela.
 Apaixonada pelo sofrimento, acorrentada pelo passado, sua esperança foi trucidada, seu coração está em estilhaços,seu corpo é frio, e coberto por espinhos, os lábios não se movem, os olhos estão vazios, até sua respiração lenta machuca.
  Seu beijo tem um gosto amargo, envenenada, afogada, cortada, ela faz tudo que está sentindo, suas palavras perfuram quem ouve, é quase um berro, eu fecho os olhos para aguentar, a cada toque minhas mãos sangram, podem dizer que sou masoquista, mas ninguém pode ir contra o amor, ele vai além da morte,seja da alma ou do corpo, ela nunca vai me amar, eu sei, mas se conseguir arrancar pelo meno um sorriso dela, terei completado o sentido da minha existência, poderei morrer em paz.

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Traídos pelo desejo

Entrelaçados, traídos pelo desejo, ardendo em paixão, existem três corações em jogo, e um deles vai sangrar, só mais uma dessas histórias clichês. Quando a noite cai  se encontram as escondidas, entregam-se ao pecado, desfrutam a vontade incontrolável de possuir um ao outro, são dois anjos caídos, o celular toca várias vezes, só resta uma imensa escuridão dentro do quarto, foram engolidos por seus sentimentos, uma nuvem de dor se alastra dentro de seus corpos impregnados,sabem que isso tem de acabar, pois no outro lado da cidade uma mulher inocente está deitada na cama esperando por ele para dormir.
    Quando chega a hora ,cada um vai para o seu lado, com os pensamentos atormentados, não são pessoas ruins, apenas foram vítimas do destino, se cruzaram em um dia qualquer, e foram acorrentados pela vida.Ela caminha em silêncio, lágrimas quentes escorrem, ama-o ao ponto de se submeter a essa situação suja, como é fraca.Ele também caminha, chutando porcarias da rua, pensando em como parar isso, esse amor voraz e doentio,promete deixar uma , mas é tudo mentira, sabe que ama as duas com uma intensidade jamais imaginada, isso vai se arrastar por anos até que um deles morra, ou a verdade venha a tona, mas concerteza não será um final feliz, isso é a vida.
                                     

Ela ainda é uma garota


Ela ainda é uma garota , mas fode como uma prostituta, a batida do rock'n'roll se mistura aos seus gemidos, bebidas espalhada pela casa, não gosta dos pais, largou os amigos, não suporta a sociedade doente em que vive, antes de amanhecer pega suas roupas e vai embora, acende seu cigarro e sai andando pelas ruelas sombrias da cidade, cheiro de sexo impregnado em sua pele, garota suja,passado manchado, esse é seu destino, o destino de uma vadia.
  No fundo ela sabe, que vive escondendo seu peito rasgado, e engole a seco seus sentimentos, machuca todos, consegue tudo que quer, quebra corações, destrói relações, cheira cocaína, é só uma consequência da sua natureza, viver nesse lamaçal suburbano.

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Eu voltei

Eu voltei, mas já é tarde demais, você não está aqui, o céu está cinzento como no dia em que deixei você, fui embora sem olhar para trás, não aguentaria ver você chorando,assim que a vida permitiu que eu voltasse, corri até ficar ofegante, tive esperanças que ainda estivesse sentado naquele mesmo banco, porém o lugar está vazio e frio.Flechas ácidas corroem meu coração nesse momento,vou gritar até meus tímpanos sangrarem, você pode me ouvir?
 Vida injusta, vou ficar aqui com meus fantasmas, o vento sussura palavras de consolo, mas dói, isso é um pesadelo ?Ao fechar os olhos ainda posso sentir você, lutei tanto para deixar tudo morrer assim? Me perdoe se  demorei, mas eu ainda te amo.

             

domingo, 22 de maio de 2011

Força

Uma alma cheia de lamento, implorando por salvação, cansada de escrever para se libertar, minhas palavras estão ficando deformadas.Devorada pela solidão, essa forma de viver machuca, o silêncio está consumindo o nosso tempo.
Por medo da vida estou trancada aqui dentro, esperando por um fim verdadeiro, cansei de sangue escorrendo, quero sentir uma existência, não me abandone preciso de força para seguir essa estrada cheia de valas da  morte.Não posso me arrepender depois,tolerar os destinos da vida, prosseguir mesmo que seja de joelhos, crescimento doloroso, assim são as coisas do mundo real.

sábado, 14 de maio de 2011

Retrato

Aos poucos os pés cansados sangraram, parada olhando para o horizonte lágrimas escorriam de seus olhos, o passado jamais seria seu outra vez, o horror do presente respingava dor, o tempo começava engolir Mellanie.
Olhar para trás traria recordações monstruosas, erros que já eram indiferentes, o grito de amor estava tão longe.
Embrutecida, deprimida, jogada as traças de sua própria vida.Pressionava os pés contra a terra dura, latejava, assim ela poderia se concentrar no nada de sua existência.
Quantos dias ainda faltavam para ela chegar a algum lugar?Medo dos sentimentos distorcidos que explodiam em seu peito, sob esses pés um lamaçal de sangue, sentia sua felicidade escorrendo por aquele líquido quente.
Que fim era esse?O coração pulsando forte e o corpo morto, estava realmente viva?
O vento frio se cortando contra a pele suja,apague minhas lembranças sobre esse retrato triste de garota sozinha.
Cada vez  mais martirizada , vi ela morrer sem poder fazer nada.