sexta-feira, 1 de abril de 2011

O que restou













Que lindo dia para morrer, cinzento, mórbido, estagnado.Eu estampei algumas cores em fotos velhas e mesmo assim elas vão se destruir sozinhas.É triste dizer que é o fim para mim, mas do que adianta ser um vegetal?
Eu escolhi esse destino, perdi amigos, amores, cores e flores.Dizendo ao tempo que me agarraria a vida com todas as forças, com unhas cravadas, mas se desprenderam da face,  perdi a corrida contra a felicidade, chorando por dentro estou deitada na grama.
Estrelas restaram dessa vida, mas já não posso sentir o brilho delas.Não fique assim, não seja uma covarde, não existe mais tempo para lutar.
Estou cantando para o céu, ele já é feio, com minha voz rouca já podem pintar um triste quadro desse momento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário