sábado, 2 de abril de 2011

O luar

















Como é mágico, luz da noite, jogue uma pedrinha no lago, e ondas de amor se formam sob esse lindo luar.Nem triste, nem alegre, apenas inerte.
Com olhos de vidro enxergo a mim mesma, brilha sobre a alma, cores frias e doces.Me deixa enfeitiçada, sob ele reinam apaixonados, solitários, amargurados, e assim isoladamente esse poder envolve a todos.
Tupã dos índios, satélite dos cientistas, maravilha dos humanos.Sentada nessa grama sinto minha metade lá no céu, como eu ele é choroso e solitário.

Nenhum comentário:

Postar um comentário