sexta-feira, 1 de abril de 2011

Chuva















Serena, forte, torrencial, de qualquer jeito ela lava a alma.Purifica os poros, penetra seu corpo, te trás lindas memórias mortas.
Mas também tem suas máscaras, machuca com seu jeito mórbido de escorrer, pode lhe trazer lembranças de um dia nublado.É como uma faca de dois gumes, na chuva você pode brincar de viver na fantasia.
Fantasia de sorrir, chorar, agarrar, adoro essa proporção de chuva que a vida me da.Podia chover todos os dias, o tempo todo, eu seria mais alegre, ou mais triste, apenas depende.

Um comentário: