quinta-feira, 31 de março de 2011

Sobre mulheres...































Mulheres são humanas, simples, complexas, lindas, intensas, contagiantes,chatas, indefiníveis.

Orientais:

Pingos de emoção















Pingos de sangue mancharam minha folha, palavras pintadas de emoção.Pessoas que sentem o tempo de maneira avessa.É o que vejo nessa sociedade de loucos dentro desse hospital, todos perderam a lógica dos próprios sentimentos, vivem entre a neurose e a psicose.
Ainda que eu feche os olhos posso ouvir as vozes descoordenadas desses humanos aflitos.
As cicatrizes que se esgotam em meus braços, me deixam em carne viva.Esses transes sem procedência, a cada palavra uma loucura está se sucedendo.
Feridas gotejam sem parar, feridas de monstros que se encontram dentro de mim.

domingo, 27 de março de 2011

Amada














Encostada no banco da praça as costas encharcadas,aquela chuva forte não cessava, mal sabia o quanto era amada em silêncio, não me importava quantas pílulas de destino destruído ela havia consumido, amava incondicionalmente aquela doce garota.
Cruel e divina, mas sempre vejo-a ofegando ternura, uma simples e doce canção, é o que posso dizer sobre ela.Amor move o mundo, principalmente o meu, onde reina a verdadeira face, máscara se você preferir da garota que eu amo.

Esperança












Sozinha em uma sala distante dos seus sonhos, lágrimas escorriam da sua face embrutecida, tinha vontade de gritar, surtar,mas ninguém poderia escuta-la.
Muitas vezes o desespero é  o fim de um ciclo morto, onde pequenos estilhaços da vida vão começar a lhe cortar.Meu velho coração apagado está sangrando esperança, a morte que por tanto tempo estava sendo desenhada em meu peito, desmanchou-se intensamente.
Apesar das marcas que latejam em meu corpo, estou disposta a apaga-las da minha memória.

A bruxa apaixonada















O toque de suas mãos sobre as  minhas memórias doloridas, sobre essa janela fico a olharte, tão lindo.Sinto imensamente sua falta, como sinto, dói, ver minha expressão doentia e você tão limpo.
Queria realmente ter a chance de me aproximar, estou confusa, completamente bagunçada, e suja.
Sou a bruxa que gosta do príncipe, é por isso que apenas tenho de deixar nossa distância aumentar, até que você me esqueça, ou melhor até que você se apague da minha pele.
Até que nossos cheiros, palavras, se separem, eu sou um monstro pelo qual você se apaixonou cheirando a enxofre o tempo vai me apagar de você.

Uma verdade














Por mais dura que você seja o amor, ou um sentimento parecido vai contaminar seu seu corpo.Feche  os olhos e sinta a pessoa, cada traço, cheiro, voz, movimentos, surtarão o tempo todo em sua mente.
Não necessito de lembranças, elas se criam em uma teia profunda de imagens e sensações, ao lado da pessoa idealizada.
É um conto de fadas real, tem seus espinhos,levemente ou profundamente.Amor é a instância corroída de insanidade, és desmembrado pelas loucas vontades de ter o outro , apertar-se o coração até que todos seus sentimentos sejão retorcidos, empoçados no chão, de maneira miserável , você lambe, procurando vestígios de pelo menos uma pequena doce resposta da pessoa amada.
Mas amar é íncrivelmente diferente dessa vida comum,sã, o amor lhe trás a única valvula de escape para sobreviver.
Sentir, esperar, sangrar, recomeçar.

Texto dedicado para o meu melhor amigo Lucas *_*

Licor de cassis


É involuntário,essa maneira de sentir, estou a respirar esse licor de cassis,estou confusa, e  contaminada.Deito na cama pensando o quão dopada estou, acaricio o meu querido gato.Arranco minha roupa com brutalidade , levanto chutando os papéis, de joelhos vejo velhas fotos, em estado sujo eu choro.
Lágrimas negras de maquiagem manchada, olhos as marcas da agulha em meu braço,quanta droga consumi, quanto de mim estou consumindo.
Alucinada, que  forma nojenta de ser feliz, mas é a única que tenho esse respingo de vida, minha música fossante penetrando meus ouvidos.
Imagens conhecidas na minha memória, tentei levantar para pegar aquela última dose de whisky, mas as pernas não suportam,caio e me vejo destruída.
Deito as costas no chão pensando, apenas uma garota fudida, drogada e vadia.

Promessas















Construídas em cristais delicados e profundos, mergulhe nesse lago de promessas e veja como dói, são feitas, poucas concretizadas, nunca esquecidas.
Entrelaçadas a sentimentos, amor ou ódio, dor ou desamor.Infelizmente elas são marcas, marcas fortes.Queria ter vivido minhas promessas, abandonei tantas, de maneira contorcida.
Quantas fizeram para mim, e ficaram apenas no livro da vida?Eu prometi não amar, não mutilar, mas estou apenas a fracassar.
Promessas que esfriaram, quero que elas morram assim poderei parar de chorar.

Flores murchas















Flores murchas de março, outono que desabrocha, junto com minha melancolia.Esperança morta, sonhos mortos, uma carcaça é o que sou.
Ossos trincados de tanto bater contra a vida, encostada na parede olho os cadáveres das flores mortas do jardim pela janela.
Como eu são apagadas e remoídas, flores que foram lindas um dia, brilhantes,vivas, murcharam completamente.Como esse ciclo de vida,e morte é  triste, as coisas vão se queimando, queria ser como as estações que nascem, morrem , e nascem de novo.
Sou uma caveira, vou ficar aqui pelo menos pra ver o mundo morrer.

Carnificina



















A carne está queimando , os sonhos , as lágrimas, querer a morte de tantos.Cabeças, braços, pernas, matança, sou um psicótico.É triste, vocês pensam que meu sorriso é verdadeiro sobre minhas maldades.
Sou apenas um vazio , um cara triste, que machuca para se curar.Sento-me ao lado desses humanos sangrando, parece purificar-me, enfio minhas mãos nos orgãos, apertando-os quero que jorre sangue sobre minha pele.
Quantos corações vou torturar para conseguir respirar sem que meu corpo lateje?É assim sendo um assassino que descobri minha única forma de sobreviver, realmente matar ou morrer.Matei quem mais amei, se é que amei, sou movido a dor.
Sou o demônio que não foi exorcizado, Deus não tenho medo de você, nem do inferno, tenho medo da dor que eu sinto.Ela sim pode me finalizar, e finalizar pessoas, em um só instante.
Por trás de um louco cruel existe apenas um garotinho cheio de dor.

Contaminada














Como a dor que contaminou meu ser , estou tentando uma fuga interior, onde eu possa descobrir os mistérios do meu coração.Quantos labirintos cheios de lama vou ter de percorrer, morder cada pedaço do meu ser, a ponto de arranca-los  e depois cuspir, limpar-me de meu próprios dejetos humanos.
Hostilizada pelo barulho lá, eu quero sumir, desaparecer de mundo imundo.Não adianta apenas rasgar-se.
É necessário o final entre uma vida intensa ou uma  morte sangrenta, como pertencer apenas a um dos lados é difícil, queria parti-me ao meio e sentir cada parte dessas existências sou um porém de paz, um porém de lágrimas, um porém em busca da ressurreição.

Enfermeiros














Vejo eles cuidarem do  mundo nos guiando por um caminho de pedras, com os pés sangrando eles estão sorrindo ao nosso lado.Você simplesmente expira morte e eles continuam lutando.
Quantos poréns  encontram para  o fim, fé, dedicação, amor, esperança, do inferno eles tiram vidas renascidas.
Nunca esquecerei do olhar em pura expressão humana, eles tem a verdadeira humanidade em si,não é profissão, é dom de um coração intenso, vivo e solidário.Pode passar anos mas não vou esquecer dessas pessoas que se imortalizaram na minha memória.
São a vida, a verdade, a sobrevivência.

sábado, 26 de março de 2011

Pessoas















São elas instáveis, loucas, incoerentes, cheia de máscaras,puramente mentirosas.Brilhantes são os olhos  humanos ,quantos segredos descubro neles,Intensas,movem montanhas por sonhos, morrem por um  amor, sofrem por uma perda.
Lembranças constroem uma pessoa, fazem rir ou chorar, ou apenas se desmembrar de indiferenças.Quantas faces tem um ser humano?Oito ou oitenta., eles são os mocinhos ou os vilões.Vejo eles serem superficiais,profundos, amáveis, violentos, repugnantes, dóceis,
Como classificar um ser que tem milhares de faces?Nem em palavras, nem em sonhos, poderia dizer o quão mágico é ser humano.
Os sentimentos desses corpos superam a verdade, seria ela relativa?

Ela















Escravizada por si mesma, corroendo com seu próprio veneno.Observo cada movimento, procuro um esboço de sorriso,um que seja, um rosto tão lindo mas uma alma tão suja.
Parece surreal essa existência silenciosa,é docemente inerte,é pura ilusão quando alcanço seu rosto , medo, é o que senti naquele momento,olhando em seus olhos, aprofundei meu toque, assustado e imortalizado em sua face suja, cheia de cicatrizes, estaria eu vendo sua alma?

Distante da vida

















Distante,distante da vida, a morte se aproxima o sangue escorrendo dessas feridas.O fim parece calmo, até posso escutar as agonias do meu coração se apagando.
A faca na minha mão vem para finalizar esse sofrimento,cheiro forte, petrificado eu meu corpo, esse líquido dói,mas não aqui fora, mas lá dentro, minha vida está queimando.
Perfuro minha barriga, meu braço , meu peito,jorrando sangue,gemidos de dor, olho para cada ferida, brilhando sobre minhas mãos.Como lateja monstruosa  é cada facada que dou em mim.
Mas um sorriso mortificado salta em meus lábios , o que tanto desejei o fim da minha vida,a morte pareceu a mais desejada possível, apagando-me desse pesadelo para dormir no nada.
Além da morte existe um inferno corroído, onde são queimadas almas inertes, paralisadas, choram baixo,umas pedem a vida outra pedem uma morte mais precisa ainda.
Lembranças são uma dolorosa canção, o verdadeiro inferno, seria a morte um lamaçal de lembranças?Brincadeiras a parte o céu é uma ilusão , vamos sofrer a qualquer custo, não chore , pois lá lágrimas viram um querosene para o remorso.
Remoendo o passado esse é o fim de nossos dias,ficamos lá queimando o nada, inexistente.E em vida queimamos nós mesmos, vida cheira a cinzas humanas.

Vazio

Difícil descrever, o nada que machuca.Como um relógio que perdeu os pontos, e fica oco.Assim se encontra meu coração, a minha pessoa.
Me perco dentro de um abismo interior, nessa queda agonizante passo por um silêncio pior ainda.Sob essas memórias estão desejos mortos, apagados, meus sonhos se queimaram.O vento levou minhas cinzas quem eu era, não sou mais, apenas um vazio que o tempo criou.

Amor

A intensidade,a sensação, os prazeres, as bobeiras, as dores, isso seria o amor?Como algo que não se concretiza, o amor é sem lógica.
As maneiras de vive-lo são diversas, platônico, declarado,correspondido, sozinho.
Mas são essas magias que fazem da vida algo realmente incrível.O amor é uma delas, tão doce,tão mortal.Sentir isso corroendo em suas veias,é maravilhoso.
Pode perfurar,machucar,queimar,que ele continua intenso, verdadeiro, e existente dentro de si.Quem pode lutar contra ele?Ninguém,como uma chuva que vai inunda seu corpo .
Quanto tempo ele dura? É um ciclo da vida, um ciclo humano, sem hora marcada , sem fim completado,acaba , recomeça, morre acorda.
Amor nunca vai passar na instância humana, ele move o mundo, da ponta onde os dedos se tocam até a mais profunda entrosação corporal, você vai simplesmente amar.
Deixe , não lute, contaminado do  sentimento mais puro e mais imundo você vai ficar, amar é existir.

Artes Marcias



Incrível , e cheia de força de vontade .Desistir não é uma possibilidade, é sempre sem limites.Até quando seus joelhos doem, o suor escorre, lesões, pingos de sangue.É ir além da capacidade física, chorar e continuar.
Mesmo de joelhos você vai lutar, nada me importa ,apenas o sonho de conseguir.Nem sempre vai sair como você quer, vitórias e derrotas, depoimento de uma garota que teve um sonho destruído.

quinta-feira, 17 de março de 2011

Destruída














Ela é um monstro, de olhos claros e coração mutilado, vive na sombra de um passado que nunca para de sangrar.
Dentro dela, impregnada em suas veias é onde me encontro, assustada com tamanho amor e horror que sinto.
Não foi escolha minha estar aqui, sou uma consequência da vida, primeiro misturei-me as suas memórias, a seu corpo,sua alma, e agora nossa fundição está completa, mortalmente completa.
Toda noite com sua gilete implora por mim, não resisto, enquanto se corta, envolvo-a em meus braços, o sangue que começa escorrer é um doce masoquismo,ficamos inteiramente vivas nesse momento.
Sempre cravo minhas unhas em sua face machucada, pois usa máscaras tentando me esconder, sob essa armadura de mentiras um corpo está apodrecendo.
Há tanto tempo venho lhe consumindo, que forma intensa de se doar, nem a morte vai nos separar.