segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

...














Andei amando loucamente, como há muito tempo não acontecia. De repente a coisa começou a desacontecer. Bebi, chorei, ouvi Maria Bethânia, fumei demais, tive insônia e excesso de sono, falta de apetite e apetite em excesso, vaguei pelas madrugadas, escrevi poemas (juro). Agora está passando: um band-aid no coração, um sorriso nos lábios – e tudo bem. Ou: que se há de fazer.

 Caio Fernando de Abreu.







sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Sentimentos


Seria impossível defini-los, tudo que sou, que toco, que vejo, é sentimento, seja frio ou seja quente.É disso que somos feitos, é um erro dizer que alguém pode viver sem sentir, enquanto seu coração bater, eles vão estar lá, nem que seja no seu mais profundo inconsciente, cada vez que você respira, simplesmente sente, é humano.
O sangue ferve nas veias, ou esfria até doer, somos extremos, vamos do céu ao inferno , do amor ao ódio, isso torna emocionante essa coisa estranha que é viver, incerta, tudo pode acontecer.
Hoje  é apático, indiferente, amanhã você ama loucamente, são vestígios de humanidade, as pessoas as vezes tem medo, medo da dor que os sentimentos trazem, mas não é uma escolha, em  qualquer instância existe dor.
Eu já estive em vários lugares de mim mesma, percorri caminhos, vivi extremos, senti paixão, apatia, frieza, crueldade, amor, ansiedade, indiferença, silêncio, gritos, bondade, desespero, agonia, esperança,fé, sempre humana.
Até quando acreditei que os meus sentimentos estivessem mortos, a dor se contorceu no meu peito provando que eles estavam vivos, que sou de carne e osso,  que corre sangue em minhas veias, e esse é o sentido da minha  vida, de todos nós, sentir, simplesmente.


Texto dedicado para meu  amigo C.Henrique :)



quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Frieza

Os teus olhos são frios como espadas,
E claros como os trágicos punhais;
Têm brilhos cortantes de metais
E fulgores de lãminas geladas.

Vejo neles imagens retratadas
De abandonos cruéis e desleais,
Fantásticos desejos irreais,
E todo o oiro e o sol das madrugadas!

Mas não te invejo, Amor, essa indiferença,
Que viver neste mundo sem amar
É pior que ser cego de nascença!

Tu invejas a dor que vive em mim!
E quanta vez dirás a soluçar:
“Ah! Quem me dera, Irmã, amar assim!…”

Florbela Espanca- Livro de Soror Saudade, Poemas.


                                  

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Preconceito ou dor de cotovelo?

 Observando o mundo atual,posso afirmar que  na maioria das vezes o preconceito é na  verdade dor de cotovelo.
 Ao longo da história várias barreiras foram quebradas, negros ganharam seus direitos, bruxas não são queimadas na fogueira, homossexualidade não é mais considerada uma doença, etc ...
 Agora me diga por que as pessoas ainda são tão preconceituosas?
 Será mesmo preconceito?
 Não, é o  tipico valor sujo que a maioria tem e é considerado normal pela nossa sociedade, dor de cotovelo,     inveja, essa necessidade de inferiorizar o próximo.
 É mais fácil usar o preconceito, os argumentos aumentam, usam moralidade, Deus, razão, aversão:

Mas ele nasceu homem, Deus quis assim, é pecado.
Bissexuais?Não existe isso de gostar dos dois sexos, são pessoas safadas, e que  transmitem Aids para os Héteros.
Espiritas?Bando de macumbeiros.
Negro só pode ser bandido, eles são nojentos.
Ficou sabendo? A dona da empresa é uma sapatão, credo.

Essas frases tem a mesma função daquelas criticas que dizem sobre uma mulher bonita, sobre alguém bem sucedido, sobre o namorado da amiga, alguém inteligente, banalizaram a palavra preconceito para enrustir a dor de cotovelo, que feio não?
As pessoas deviam olhar mais para si mesmas, concorda?
                              
                            Hipócritas

 



domingo, 16 de janeiro de 2011

Está apaixonada?


Não.E isso é muito bom.Porque não sou uma pessoa livre quando estou apaixonada.Ninguém é.Paixão é uma doença grave, gravíssima.Seria preciso trazer uma ambulância a cada vez que a gente se apaixonasse.O problema de se relacionar com outro homem é que eu não nasci para ser feliz em paz.Nasci para ser uma confusão total.Sou uma porção de pessoas.
( Danuza Leão em  uma entrevista.)

sábado, 15 de janeiro de 2011

Não sou boa em escolher um começo...

então não vou me prender em grandes explicações, só quero dizer que não importa o número de seguidores, comentários, desde que seja um lugar que você goste.